Guia Completo Para Envio de Remessas Contendo Artigos Perigosos

Uncategorized

Ao manusear, armazenar, embalar ou transportar artigos perigosos, existem alguns itens que são considerados de alto risco e são regulamentados pelo governo brasileiro e devem estar em conformidade com os padrões internacionais para artigos perigosos. E quando nos referimos a artigos perigosos estamos muitas vezes nos referindo a itens simples, como esmaltes, tintas, vernizes, acetona, perfumes, pilhas, equipamentos eletrônicos portáteis contendo baterias de lítio e até mesmo explosivos (como fogos de artifício, por exemplo). Então, se você planeja enviar qualquer um desses itens por via aérea, tenha em mente que deverá seguir as diretrizes relacionadas aos artigos perigosos, para que o embarque seja feito de maneira segura.

Artigos perigosos são especialmente perigosos em espaços confinados, como dentro de contêineres ou nos porões de carga das aeronaves. Portanto, ao se preparar para transportar artigos perigosos, independentemente do modo de transporte escolhido, deve-se ter cuidado e atenção extras e seguir sempre os procedimentos regulamentados pela Anac – a Agência Nacional da Aviação Civil.

EXEMPLOS DE ARTIGOS PERIGOSOS COMUMENTE TRANSPORTADOS

  • aerossóis e sprays contendo odorizantes de ambiente
  • artigos médicos e medicamentos que contenham álcoolfósforos
  • perfumes, colônias, lacas, laquês e outros artigos de higiene
  • cigarros eletrônicos e vaporizadores
  • tinta a óleo, cola, adesivos
  • esmalte para unhas
  • munição e itens que contenham explosivos
  • fogos de artifício, rojões, bastões sinalizadores e outros produtos pirotécnicos
  • combustível líquido (gasolina, álcool, diesel)
  • materiais magnetizados
  • substâncias nocivas ao meio aquático
  • celulares, laptops, drones e outros dispositivos eletrônicos portáteis, equipados com baterias de lítio
  • cadeiras de rodas e dispositivos de mobilidade contendo baterias
  • automóveis, motos, jet-ski e outros equipamentos contendo motores de combustão interna
  • gases comprimidos, congelados ou liquefeitos
  • ácidos e alcaloides
  • desengordurantes e desengripantes
  • lubrificantes
  • soda cáustica
  • cloro
  • acetona
  • fertilizantes, inseticidas e produtos oxidantes
  • insumos para medicamentos e cosméticos
  • Gelo seco para a preservação e controle de temperatura de produtos perecíveis
  • Bebidas alcoólicas com teor alcoólico superior a 24%

IDENTIFICAÇÃO DOS ARTIGOS PERIGOSOS

Antes de decidir sobre o envio de seus artigos perigosos, seja importando, exportando ou mesmo enviado para outra localidade dentro do território nacional, saiba que existem certas características de identificação dos artigos perigosos que os tornam facilmente detectáveis. Por exemplo, muitos artigos perigosos podem ser corrosivos ou inflamáveis ​​e podem até inflamar-se quando o espaço onde estejam armazenadas se aquece ou quando há muita fricção, provocada durante o transporte. Artigos perigosos também podem ser venenosos ou explosivos.

Se você acredita que sua remessa possa conter uma ou mais substâncias com alguma dessas características, é importante ter cautela e entrar em contato com um profissional certificado e qualificado para identificar e classificar artigos perigosos. Se não tiver certeza de como classificar adequadamente os itens a serem enviados, não os prepare para transporte até que tenham sido adequadamente inspecionados e aprovados para transitar pelas rodovias ou embarcados em aeronaves. Lembre-se de que a segurança de todos depende também do seu compromisso com a segurança!

Artigos perigosos representam um sério risco quando transportados por via aérea, porque, como você deve saber, a carga é transportada na parte inferior da aeronave e fica suscetível a muitos movimentos à medida que a aeronave se desloca, em voos muitas vezes bastante turbulentos. Dispositivos tecnológicos como laptops, brinquedos contendo baterias ou materiais corrosivos podem criar uma pequena faísca devido à turbulência ou até mesmo devido ao movimento de pouso da aeronave.

Quando se transporta artigos perigosos, os problemas mais comuns incluem:

  • Vazamento ou derramamento do conteúdo da embalagem
  • Explosão ou princípio de incêndio em dispositivos contendo baterias
  • Reações químicas entre artigos perigosos incompatíveis

Para evitar esses problemas críticos, é importante seguir todos os regulamentos e diretrizes sobre o transporte de artigos perigosos. Isso inclui embalar e etiquetar adequadamente sua remessa, bem como declarar todos os artigos ou substâncias perigosas, e documentar seu embarque de maneira correta.

Como os artigos perigosos devem ser armazenados e manuseados?

 

Se um volume contendo artigos perigosos não estiver devidamente protegido, poderá vazar ou derramar a qualquer momento. Isto pode causar risco de incêndio ou explosão a bordo de uma aeronave, navio ou caminhão.

Mas se o volume não estiver etiquetado corretamente, a embalagem pode ser aberta por alguém que desconhece se tratar de um artigo perigoso e assim, ficar exposto ao conteúdo perigoso que existe dentro da embalagem. Ao enviar mercadorias com baterias, é prática comum que a bateria não possua mais de 30% da sua carga máxima. Embora existam padrões internacionalmente aceitos para o transporte de artigos perigosos, a maioria das empresas aéreas inclui um nível mais restritivo, para garantir a segurança.

Volumes avulsos, paletes ou contêineres contendo artigos perigosos devem permanecer com as etiquetas de risco para artigos perigosos claramente visíveis. Cada volume deve ser capaz de informar o nome apropriado para transporte – associado a um número ONU ou número ID –, o tipo de perigo que representa e as precauções adequadas para o seu manuseio e armazenamento.

Se você não tiver certeza se a remessa que deseja enviar ou receber é perigosa ou não, peça ao fabricante ou ao fornecedor uma Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos – FISPQ. Caso esse documento faça referência a um número ONU, é a confirmação de se tratar de um artigo perigoso.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE OS ARTIGOS PERIGOSOS

  1. Conheça os regulamentos: É vital que você siga os regulamentos antes de enviar qualquer coisa classificada como artigo perigoso (DG). Esses regulamentos incluem detalhes sobre tipos de embalagem, documentação e etiquetagem e marcação necessários para enviar artigos perigosos. As regras podem variar dependendo do meio de transporte (aéreo, marítimo ou rodoviário). Mas são sempre obrigatórias e o desrespeito às normas estabelecidas pode provocar sérios danos, além de perdas financeiras.

  1. Nunca renuncie ao aconselhamento profissional: Você deve compreender os regulamentos e os requisitos aplicáveis a cada tipo de produto ou substância a ser transportada. Desrespeitar a regulamentação pode resultar em multas e sanções impostas a remessas futuras. Alternativamente, você pode contratar um especialista treinado em artigos perigosos para, agindo em seu nome, identificar, classificar e documentar o artigo perigoso, preparar a embalagem e orientá-lo sobre todos os demais procedimentos necessários, além de assinar a documentação, em seu nome.

  1. Classifique e declare sua remessa corretamente: Você, como expedidor (remetente), é responsável por garantir que a remessa contendo artigos perigosos seja claramente identificável. Os itens a serem transportados deverão ser embalados, marcados e etiquetados de maneira apropriada e serem encaminhados ao transportador acompanhado da documentação correta exigida não somente pelos países por onde esses itens irão transitar, mas também respeitando todas as restrições adicionais do transportador.

  1. Embale sua remessa adequadamente: Todas as remessas classificadas como artigos perigosos devem exibir etiquetas de risco, as etiquetas indicando cuidados especiais de manuseio e conter as marcações de especificação das Nações Unidas (ONU). Estas marcações indicam que a embalagem atende aos padrões necessários para o transporte de artigos perigosos.

  1. Esteja em dia com a regulamentação: Consulte sempre os regulamentos mais atuais, da ANAC e da IATA, para saber tudo o que a sua remessa exige, para ser transportada. E não basta ter acesso aos regulamentos, você precisa estar adequadamente treinado, em um curso destinado àqueles profissionais responsáveis pela preparação de remessas contendo artigos perigosos. Em caso de dúvida, fale com a Apzi Treinamentos. Nossos especialistas irão te orientar sobre o curso mais adequado a cada profissional.

  1. Como remetente, você também precisa garantir que ele tenha a documentação correta antes do envio, incluindo: o contrato de transporte; a Declaração do Expedidor de Artigos Perigosos (DGD), certificando que as mercadorias foram embaladas, etiquetadas e declaradas de acordo com os regulamentos; documentação aduaneira, fatura comercial, MSDS ou FISPQ, licenças, autorizações e quaisquer outros documentos relevantes ao seu embarque.

Nós, da Apzi, dispomos de especialistas em artigos perigosos de todos os modais de transporte (aéreo, marítimo e rodoviário) que podem ajudar em todas as etapas do processo – incluindo treinamento, workshops, elaboração de manuais técnicos, condução de auditorias internas, consultoria e suporte técnico para garantir sua melhor experiência ao embarcar artigos perigosos. Portanto, não hesite em entrar em contato conosco se tiver alguma dúvida ou preocupação sobre como enviar remessas contendo artigos perigosos.

Compartilhar :

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *